8 de dez de 2010

Vento (Fragmentos de um todo) B.Muniz

Sopra o vento que balança,
não se cansa de soprar ,
Deixa no tempo que vai,
um não sei que de criança,
deslumbrada a brincar...
No vento que se espalha,
feito jogos de azar,
Da menina ,balança a saia,
do menino carrega a pipa,
que colorida se espatifa,
num galho solto a vagar...
O vento balança e sopra,
Carregando todos os sonhos...
Não sei se isso é verdade,
ou apenas, eu suponho.
A verdade é que o vento ,
brinca com pensamentos
e minhas idéias infantis,
Não sabe quanto me custa,
perder o medo e ser feliz...
O vento balança as folhas
e as flores pelo jardim,
Até parecem que travam,
conversas dos querubins...
Eta vento assustado ,
que gira tudo pros lados,
é fácil se divertir!
Só assim, me sinto mais perto
dos dias da minha infância...
quando no varal imaginava,
entre as  roupas penduradas, 
que a vida também tinha asas,
como os pássaros que ali brincavam,
nos ventos de tantas lembranças. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário