14 de nov de 2010

Surtos


Enfadonha era aquela manhã, onde nada amanhecia e o relógio insistia em ser anti- horário


Heloisa era feliz à colher flores nos campos onde se plantavam apenas ervas danadas... Não eram daninhas, pois estas não podiam ser arrancadas... Heloisa apenas não sabia o que tinha a desconhecida felicidade



Achou debaixo de um cogumelo, um balde cheio de ovelhas voadoras, de escamas amarelas







 QUEM SABE VIAJAR DE VERDADE EM SUAS PRÓPRIAS IDÉIAS, JAMAIS PRECISARÁ USAR QUALQUER TIPO DE DROGA.... O SER HUMANO É A MELHOR VIAGEM QUE JA EXISTIU. SUA MENTE COMPLEXA, CORRETA E POR MUITAS VEZES DESCONEXA DA REALIDADE QUE O RODEIA, JAMAIS PRECISARIA DE QUALQUER SUBTERFÚGIO PARA ESCAPAR DE SI MESMO. SUAS INFINITAS RESPOSTAS, ESTÃO DENTRO DE VOCÊ MESMO, BASTA DEIXAR DE CONTAR MENTIRAS PRA SUA MENTE E ENCARAR AS COISAS COMO SÃO E NAO COMO GOSTARIA QUE FOSSE. FAÇA DAS COISAS O QUE GOSTARIA ... FAÇO DO MEU MUNDO O QUE QUERO, TRAGO PARA ELE QUEM QUERO E COM CERTEZA, APENAS QUEM MERECE ;)




mais uma viagem...



O PEQUENO PRÍNCIPE, AINDA É PEQUENO? CABERÁ AINDA EM SEU MUNDO? COMO ESTARÁ A ROSA? TERÁ VIRADO DONA ROSA?





saiu colher borboletas, num campo de mariposas,onde voavam flores azuis, vermelhas e rosa-bebê, até que deu de cara com uma tulipa falante, que sobrevoava a sombra de uma lagarta louca, achando que esta fosse uma parente distante, que quase morreu por nao calar a boca...Ao constatar que de fato era, calou-se para nao ser perturbada e em pleno vôo adormeceu....



E o dia amanheceu verde...




‎... E descoberto foi o paraíso, ao lado de Ana Rosa... Então Vergueiro, muito feliz, viveu ali com sua amada, durante anos e anos até que Ana resolveu seguir a Santa Cruz e a ele, restou apenas a consolação, mas não se entregou... Resistiu o quanto pode àquela perda, e em seus últimos lances de lucidez, buscou a liberdade e no fim, como todo aquele que padece de amor, encontrou a luz... (história de metrô)











E como saber se o próximo passo seria certo?


Então caminhou todos os que podia...




E alcançou a liberdade











Nenhum comentário:

Postar um comentário