17 de jun de 2009

Infinitamente nada

Nada como o nada para nos aborrecer.
Nada a fazer, nada a temer, nada a explicar...
Nada de sonhos, nada de pesadelos... Nada de ser ou estar.
Nada de ouvir ninguém dizer o que falar...
Nada somente, nada na mente para pensar.
O nada dada faz, nada experimenta.
O nada, nada é nem inventa.
O nada é onde muitas vezes queremos estar quando pensamos em sumir.
No nada, ninguém nos acha... Será?
Nada alem de absolutamente nada. Como estaria alguém ali? No nada?
Apareceria do nada também? E qual a utilidade do nada? Nenhuma? O que é o nada então? Nada mesmo? Existe ou não? sempre dizemos... Não foi nada...
Então foi alguma coisa?!!
Que mundinho mais medonho onde nada se explica, onde nada é por acaso... por acaso então é nada? não há acaso? aff...Nada parece fazer sentido por aqui hoje. Nada do que penso, Nada do que escrevo...Nada... é só isso...


16 de jun de 2009

HUmano? desmerecidamente humano...

O que de humano no ser?
Se tudo o que existe de absurdos ele vai fazer?
Se tudo o que é crime, esta a cometer?
Se tudo o que de ruim, ele teima em dizer?
O que há de humano
No maldito ser?
Que dom é esse de se desumanizar?
Que dom é esse do fazer sofrer?
Que dom é esse de infernizar?
Tao humano, e joga na cara o que faz ao outro...
Tao humano quanto ele, ou mais?
Menos? Apenas por precisar?
Que ideia é essa desumana de salientar
O que se faz para "ajudar"?
Ajudar a quem?
A ?
A ser? Ao ser? Ser o que? Humano?


9 de jun de 2009

Madrugada

A MADRUGADA NOS GUARDA SURPRESAS...BOAS, RUINS... .
UMA CAMA, UM DRAMA, UMA MESA, UM COPO,
 UMA MACA, UMA MARCA, UMA DESPESA, UM CORPO.
 BEIJOS, DESEJOS, LÁGRIMAS, DORES,
 SORRISOS, O GOZO, O CHORO, AMORES.
 VIDAS QUE NASCEM, QUE MORREM, 
QUE SOBREVIVEM, 
QUE ESPERAM, DESESPERAM,
 SONHAM, IMPLORAM, ESQUECEM... 
O TEMPO PASSA, LOGO AMANHECE 
E TUDO PARECE MAIS CERTO,MAIS CALMO,
 MAS FRIO, MAIS FELIZ,MAIS CLARO...
 MENOS TENSO, NEM TAO IMENSO,
 MUITO MENOS INTENSO QUE A MADRUGADA QUE SE FOI...

5 de jun de 2009

Um poeminha básico

De que adianta?

De que?

De que serve amar
Se não puder expressar?
De que serve o frio
Se não tens cobertor?
De que serve a alegria
Se já não podes sorrir?
De que serve a primavera
Se não há o que florir?
De que adianta gritar
Se não tens quem ouça?
De que adianta espernear
Até acabar as forças?
De que serve o amor?
De que adianta o vazio
Se o dia reinicia
Nessa imensa esfera?
Pra que tanta agonia?
Por que chorar sozinho,
Se podes ter um amor?
De que adianta o paraíso
Quando a alma está no inferno?
De que adianta um verão bonito
Se eu prefiro o inverno?
Para que felicidade
Se com o tempo ela chega ao fim?
De que vale ter consciência
Se eu já não a aceito?
De que adianta ter decência
Se o que eu quero é não ser direito?
De que me vale a boa vontade
Se o que eu quero é ficar sozinho?
De que adianta uma terceira idade
Se eu não quero ficar velhinho?

4 de jun de 2009

Insonia

Uma friaca dessas e eu sem dormir, penso nos tantos que também não o conseguem... Uma façanha adormecer... O mundo é tão perigoso, o repouso nos atrasa, acordar num dia frio é complicado, a preguiça nos domina... Tantas coisas nos impedem o sono... O medicamento que foi tomado ou esquecido, dividas e mais dividas, prioridades insuperadas por conta da crise... Crise financeira, existencial... Estado crítico é este de não conseguir o repouso... Repouso? Acredito que muitos não saibam o que vem a ser esta glória... Avião passando, buzinas, sirenes, criança chorando no meio da noite, o ronco dos motores e dos parceiros, o ronco da cuica no bar da esquina... Tudo nos impede...Tudo nos motiva a permanecermos ligados... Os outros amigos que também não dormem, do outro lado da net, as vezes do outro lado do mundo, uma ansiedade de contar que não novidades, que sua vida continua a mesma merda... A esperança de que algo novo tenha acontecido na vida do outro, apenas para se ter assunto na madrugada, e mais uma desculpa para não adormecer...Deitado eternamente em berço explêndido? Até pode ser..."deitado", mas não adormecido...